Notícias Que Mudaram o Mundo, Parte I

  • “Código Da Vinci” é vaiado na pré-estréia em Cannes. Eu sou uma das pessoas ávidas para ver o filme, muito mais pela questão da adaptação do que as “idéias” que o livro propagou e, sinceramente, não fiquei nem um pouco chateada ao ler a notícia. Gosto do estilo de Dan Brown, tomo como base o “Fortaleza Digital” que até agora foi o que mais gostei, mas não entendo quando as pessoas começam a questionar demais… É ficção, oras! Mas isso é assunto para um post inteiro e não uma coletânia, enfim.
  • Cuidado! Gente! Cuidado! Eu contei um baita SPOILERRR! Como eu sou mááá!!! Como eu sou descuidadaaaaaaa! Credo! Nem me toquei, desculpem-me.
  • Apresentamos nosso projeto (acadêmico) para a nova Marca e Identidade Visual do curso de Secretarido Executivo Bilíngüe. 99% como o esperado, nenhum imprevisto indesejável. Contarei detalhes quando sair o resultado 🙂
  • Senado aprova pacote de segurança; EMPRESAS TERÃO DE BLOQUEAR CELULARES. Tava na hora, benhê*!
  • Os Sem-Floresta deve conquistar as crianças nas férias de verão. Não só as crianças, querido redator!
  • Algumas pérolas, e como brilham!

    Não perguntem a mim. Na verdade, eu nem disse nada!
    Disse o nobre – sim porque todos eles são nobres, pobres de nós meros mortais – deputado João Bastos, uma das frases mais interessantes da noite de ontem: “Eu fiquei com Baba, eles com Ali Baba e os trezentos ladrões”.
    Acordo às seis da manhã, vou para a Universidade. Dois períodos, aula de Filosofia. Professor Silvestre propõe uma exposição de idéias sobre a atual conjuntura política nacional, em especial sobre Impeachment. E com todo meu receio sempre presente para falar em público, sou uma das que lidera o lado “Contra” da coisa.
    Algumas farpas depois, já depois do intervalo, o colega – nobre, de fato – escreve no quadro a frase mais interessante que já ouvi à respeito do circo todo:
    “Impeachment não é papel higiênico para limpar o Brasil da m****. Há que ser feita uma lavagem intestinal.”

    Tenho dito.
    Fifo


    H-i-l-á-r-i-o.
    Quem me conhece sabe que não sou partidária, que como muitos tinha medo de Lula, e como poucos não tenho realmente fé no governo e muito menos a ingenuidade de achar que tirando o presidente tudo muda.
    Sobre a lavagem “profunda” (!), ao chegar em casa e fazer a checagem diária ao Charges, a Charge do dia é nada mais, nada menos que CPI da Orgia, que só comprova a tese do Fifo.

    Política, Capitalismo & Chopp; ou nenhum deles.

    Hoje mais um momento de exercer a nossa [questionável] democracia. Aqui, tudo normal. Minha segunda chance de ouvir o barulhinho estridente da urna eletrônica – que aliás foi desenvolvida não muito longe daqui. Domingo com cidade tranqüila, shopping movimentado, promoção maravilhosa de CD’s oriunda da reinauguração recente de um hipermercado. Passeatas e muitos planfletos ao chão… Mas esta cena muda! E logo nem haverá aqueles que lamentam seus votos.
    Por quê? Porque esta é a cidade da cerveja! Dia 7 começa a Oktoberfest e tudo acabará em.. chopp! Eu acho até que é de propósito o.õ
    PS – Antes que perguntem: não bebo (alergia), não sou chegada em Oktober. Eu gosto é do passaporte da alegria, e gritar bastante no Evolution.
    [Ironias]
    O lado bonito dessa festa é que a cidade fica um tanto quanto especial. Aliás, há muitos prismas para dissertar sobre. Mas deixemos tal reflexão (!?) para depois do início das festanças. E eu quero muitas fotos do desfile de abertura!