A despedida

Eu poderia dissertar sob nuvens a respeito da lógica, da falta. De ganhar e perder. Mas não teria sentido… Não agora.
O que fazer com os momentos, as lembranças, o filme super-8 da memória. O que fazer com a saudade?
Como trancar a vontade de ver, tocar, de fazer um cafuné e te ver se entregar ao carinho? Como entender que nada disso acontecerá novamente?
Todos esses anos… desde de criança você esteve comigo. A cada choro disposta a me consolar com suas patinhas insistentes, tentando parar sofrimentos de coração partido.
Você foi minha amiguinha, a boneca que adorava ser meu bebê. Pode parecer bobo falar assim, mas ela foi uma das melhores coisas da minha vida e a amiga mais permanente desde que me entendo por Grace.
Adorava posar para fotos! Fofa que só ela…Fará uma falta tremenda.
Aos 18 anos de idade ela nos deixou no último dia 29/01, vítima de câncer de mama.
Mas será, para sempre, a cachorrinha-velhinha mais fofa de todos os tempos da minha vida.
I'm shy u.u
Adeus, Pituxa.

One thought on “A despedida”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *