PP27!

Férias, Férias, Férias, Férias!!!
Nem acredito.
Agora é terminar o site da nossa turma, para as férias serem divertidamente culturais com os textos dos talentosos (logo ex-)calouros de Comunicação Social – Publicidade & Propaganda. Nossa, vou sentir falta deles. Mas não por muito tempo!!
E estou participando do Neo Wired! É demais!! Obrigada de verdade pelo convite Marya!!

Desilusões e Escolhas Celofane

Em nossa última conversa, eu estava a falar da Senhora Celofane…
Nos últimos dias comecei a pensar sobre o que ela tem dito; ela costumava dizer que queria se casar, filhos e toda aquela coisa clichê. Mas ela parou. Foi algo gradativo.. acho que nem percebeu. Eu percebi. E fiquei pensando.. o que a fez mudar de idéia? Será que não me contou? Será um segredo? As poesias dela já não pululam a mesa da sala, as folhas perfumadas e as pastinhas sempre organizadas. Vislumbro-me à cativa idéia de que ela guarda um segredo. Então perguntamos: que segredo?
Impossível no momento dizer. Ela parece tatear no escuro entre um casal de escolhas. Há sempre a terceira alternativa… interessante como ela parece utilizar-se do amnéstico… aliás! O amnéstico! Alguém aí lembra do amnéstico?!
Serão poucos os que lembrarão. Eram poucos os que prestavam atenção à época. Ela era só uma criança… a verdade é que continua, na essência. Ela só cresceu. Não é a Rosa do Pequeno Príncipe. Não vê com os olhos de Saint-Exupéry. Não mais…
Também dele ela, com efeito, desiludiu. Não concebia o “fato” de sua morte não ter sido acidente. Não poderia ele… ele que a ensinou a querer ver, ele que escrevia cartas como ninguém… Ela então, desacreditou no que lia.
Foi aí que parou de escrever. Desacreditou no que lia.